BANABA LEAF - Promotor dos Níveis Saudáveis de Insulina


Banaba Leaf

(Lagerstroemia Speciosa Extract) - 1% Corosolic Acid

O que é

Banaba Leaf é a planta asiática Lagerstroemia speciosa, cujo principal ingrediente químico é o Ácido Corosólico – comprovado em testes por trazer benefícios similares aos da insulina:

  • Promotor dos Níveis Saudáveis de Insulina

  • Atividade anti-obesidade

  • Coadjuvante no Tratamento do Câncer

Benefícios:


Contribui para o emagrecimento e controle saudável da diabetes

Banaba Extract demonstrou ter atividade contra alfa-glicosidase e contribui para atividade inibidora de alfa-amilase. Ao inibir a ação enzimáticas da alfa-glucosidase e a alfa-amilase, as moléculas de carboidratos não sofrem degradação, dessa forma elas não são absorvidas e são enviados diretamente ao intestino para serem eliminados pelas fezes, sendo uma alternativa segura para diabéticos que precisam diminuir as taxas de glicose no sangue e também para auxiliar nas dietas de emagrecimento.

Previne a alta concentração de glicose GLUT4 atua nas células musculares e de gordura, principais locais de reserva da glicose, ele é o responsável pelo metabolismo de glicose na célula. Exerce um papel fundamental na regulagem da concentração de glicose no sangue, visto que o iabetes tipo 2 é desencadeado por deficiências na cadeia de processos celulares que envolvem o GLUT4, cuja ação é estimulada pela insulina. Banaba Extract induz a translocação do GLUT4 para a membrana plasmática, aumentando assim a captação de glicose.

Acelera o metabolismo e quebra da glicose A frutose-2 ,6-bifosfato (F-2 ,6-BP) desempenha um papel crítico na produção de glucose hepática, regulando a gliconeogênese e glicólise no fígado. Ácido corosólico aumentou a produção de F-2 ,6-BP, juntamente com uma diminuição dos níveis intracelulares de AMPc, tanto na presença como na ausência de forscolina em hepatócitos isolados, estimulando a glicólise e inibindo a gliconeogênese. [20],[21]


Facilitadores do Transporte de Glicose

Banaba Extract possui como constituinte químico principal o ácido corosólico, mas também apresenta alguns tipos de elagitaninos como Flosin B, Lagertroemin e Reginin A que demonstraram através de estudos sua atividade como transportadores de glicose ou seja “insulin-like”.


Sugestão de Fórmula

Estudos Científicos 1. Efeito do ácido corosólico sobre os níveis plasmáticos de glicose

Pesquisadores japoneses realizaram estudo duplo-cego cruzado com 31 indivíduos, onde foram administrados por via oral cápsulas contendo 10 mg de ácido corosólico (CRA) ou placebo, 5 minutos antes do teste de tolerância realizado com 75 g de glicose oral (TOTG). Dezenove indivíduos apresentavam diabetes, sete apresentavam intolerância a glicose, um encontrava-se em glicemia de jejum, e quatro presentavam tolerância normal à glicose de acordo com os critérios da OMS de 1998.

Resultados: não houve diferenças significativas nos níveis de glicose no plasma, antes e 30 minutos após a administração. Indivíduos tratados com CRA apresentaram menores níveis de glicose a partir de 60 minutos até 120 minutos e alcançaram significância estatística em 90 minutos. Conclusão: evidenciou-se que o ácido corosólico (CRA) possui efeito redutor sobre os níveis plasmáticos de glicose in vivo em seres humanos.

2. Efeitos antidiabéticos do ácido corosólico em camundongos diabéticos do tipo KK-Ay. Pesquisadores japoneses realizaram estudos em camundongos portadores de Diabetes tipo 2 para evidenciar os efeitos antidiabéticos do ácido corosólico(CA). Após dose única oral de 2 mg/Kg, houve redução dos níves de glicose sanguínea, níveis plasmáticos de insulina e também houve redução da glicose sanguínea no teste de resistência insulínica. Conclusão: estes resultados suportam a hipótese de que o CA melhora o metabolismo da glicose, reduzindo a resistência à insulina. Portanto CA pode ser útil para o tratamento de diabetes do tipo 2.


3. Efeito do ácido corosólico na dieta rica em colesterol e esteatose hepática em camundongos KK-Ay diabéticos. Pesquisadores japoneses realizaram estudo para evidenciar os efeitos do ácido corosólico (CA) na dieta rica em colesterol e na esteatose hepática em camundongos do tipo KK-Ay. Foram preparadas 2 tipos de dieta rica em colesterol:

  • Dieta 1: com 0,023% de CA

  • Deita 2: sem 0,023% de CA

Camundongos KK-Ay foram divididos em 3 grupos e alimentados com uma dieta normal (controle), com a dieta 1 (CA-camundongo) ou dieta 2 (HCcamundongo) durante 10 semanas. CA inibiu no grupo (CA-camundongo) o nível médio de colesterol no sangue em 32% (P <0,05) e o teor de colesterol no fígado em 46% (P <0,05) em comparação com o grupo controle e (HCcamundongo) após 10 semanas do início do consumo alimentar. Agudamente, CA inibiu o nível de colesterol arterial média 4 h após a administração de um cocktail de alta colesterol em um ensaio de colesterol de carga-por via oral, em comparação com a de ratinhos de controlo (P <0,05). Estes resultados sugerem que a CA tem alguns efeitos directos sobre o processo de absorção do colesterol no intestino delgado. CA pode inibir a actividade de colesterol aciltransferase, que actua na re-esterificação do colesterol no intestino delgado, na diabetes do tipo 2.

4. Ácido corosólico inibe a proliferação celular de glioblastoma por ativação da supressão de transdutor de sinal e ativador de transcrição-3 e do fator nuclear-kappa B em células tumorais e associados a tumores macrófagos

Tumores macrófagos de fenótipo M2 promovem a proliferação do tumor e estão associados com um mau prognóstico em pacientes com glioblastoma. Neste estudo, o ácido corosólico inibiu significativamente a expressão de CD163 - um dos marcadores de fenótipo de macrófagos M2, e também suprimiu a secreção de IL-10 - uma das citocinas anti-inflamatórias preferencialmente produzidos por macrófagos M2, sugerindo a supressão da polarização de macrófagos M2. Além disso, o ácido corosólico inibiu a proliferação de células de glioblastoma e U373 e T98G, e a ativação de transdutor de sinal e ativador de transcrição -3 (STAT3) e fator nuclear-kappa B (NF-kB) em ambos os macrófagos humanos e células de glioblastoma. Conclusão: estes resultados indicam que o ácido corosólico suprime a polarização M2 de macrófagos e proliferação de células de tumor por inibição tanto STAT3 e ativação de NF-kB e portanto, o ácido corosólico pode ser considerado como um tratamento coadjuvante em potencial para a prevenção e tratamento de tumores.

5. Atividade Anti-obesidade dos extratos de Lagerstroemia speciosa L. em estudo com camundongos fêmeas obesas do tipo KK-Ay.

Neste estudo, camundongos fêmea do tipo KK-Ay que estavam apresentando um ganho de peso corporal considerável foram utilizadas para evidenciar os efeitos anti-obesidade do extrato de banaba. Camundongos fêmeas do tipo KK-Ay foram alimentadas com uma dieta controle e uma dieta teste contendo 5% de um extrato de banaba por 12 semanas. Nenhum grupo apresentou as alterações na ingesta da dieta durante o período experimental. Ganho de peso e tecido adiposo parametrial foram reduzidos significativamente no grupo de dieta com banaba. Os níveis de glicose no sangue não foram suprimidos no grupo dieta banaba, mas hemoglobina A1C encontrou-se suprimida no final da experiência. Ausência de efeitos sobre os lípidos séricos foram observados, mas o extrato de ratos alimentados com banaba mostrou diminuição significativa (65%) no nível de lipídeos hepáticos totais. Esta diminuição foi devido a uma redução na acumulação de triglicerídeos. Estes resultados sugerem que banaba exerceu um efeito benéfico sobre camundongos fêmeas obesas do tipo KK-Ay.


Para mais informações, ligue (48) 3344-6060 e fale com um de nossos farmacêuticos ou envie mensagem por aqui.



Fonte: PH Inovation Expertise

127 visualizações

Horário especial de atendimento

(durante o período de enfrentamento do

novo coronavírus)

Seg a sex das 9h às 18h

Sábado das 8h30min às 12h

ESTACIONAMENTO EMPORIUM

Rua Tereza Cristina, 270

Estreito - Florianópolis - SC